quinta-feira, 7 de outubro de 2010


E naquele vai e vem de carros, pessoas atrasadas e sem tempo pra ser feliz, eles levavam suas vidinhas. Quase nunca saiam da rotina, não tinham tempo. Raramente dormiam mais que seis horas por noite. E no fim do expediente, não desejavam outra coisa a não ser chegar em casa, tomar um banho e descansar. Um de um lado da cidade e outro do outro lado, na outra ponta, depois da ponte. Poderia acontecer de em uma bela manhã de sol os dois se encontrarem passeando no parque no centro, pois era o preferido dos dois. Poderiam se conhecer e trocar longas horas de conversa fiada. Quem sabe marcar um outro encontro na próxima semana. E depois voltar para suas vidinhas solitárias um pouco menos solitários. Poderiam se apaixonar e depois de um tempo quem sabe morar juntos. Dividir suas rotinas cansativas que já nem ligariam de seguir, pois teriam um ao outro e isso bastaria. Mas isso não aconteceria nunca, pois nunca tinham tempo. E o tempo que tinham, gastavam lendo livros gigantes de romance interminados. E ali solitários em suas camas, sentiam o vazio de suas vidas que jamais seria preenchido. Mal sabiam eles que se não fosse a maldita falta de tempo teriam sua própria história, digna de um bestseller. Mas provavelmente os dois só se darão conta do mau que estão fazendo, quando for tarde. E daqui uns cinquenta anos. Lá estariam eles, sentados em bancos no parque no centro. Um de um lado do parque e ou outro do outro, se olhando disfarçadamente, sentindo pena do que vêem: velhinhos solitários observando as pessoas felizes sendo felizes em uma bela manhã de sol. No fundo, sentiriam pena, porque estariam praticamente se olhando no espelho, a diferença é que pensariam que foi caminhos diferentes que os levaram ao mesmo destino. E imaginariam qual teria sido o menos pior. Mal saberiam eles que se tratava do mesmo caminho. Poderiam então ali, se cumprimentarem e partilhar suas histórias. Quem sabe ainda houvesse tempo. Antes tarde do que nunca. Difícil mesmo seria convencer esses dois velhinho cheios de amarguras da vida de que nunca é tarde de mais quando o assunto é ser feliz.

2 comentários:

Palavras de Menina disse...

passando lendo e conhecendo seu cantinho.
gostei daqui muito original
meus parabéns
te convido a me fazer uma visitinha bjs

R;* disse...

A falta de tempo é a gente que faz, sempre é possivel arranjar tempo pro que gostamos...
E é verdade mesmo, nunca é tarde quando se trata de ser feliz!
Beeijo ;*