segunda-feira, 12 de março de 2012

"O coração, meio desenganado, agitou-se outra vez."



(...)
- Por que você gosta de conversar comigo?
- Porque você é inteligente. Ou disfarça muito bem que é.
- (Risos)
- É sério.
- Até hoje não sabia disso.
- Mas eu converso com você por outros motivos também... Porque você me faz rir, e me faz bem.
- Que bom.
- E por que você conversa comigo?
- Começamos a conversar num momento diferente do instante presente, e confesso que a primeira impressão foi a de ter encontrado minha alma gêmea, coisa cafona que eu jurava não existir, por incrível que pareça. E nossa conversa evoluiu para além das simples constatações de congruência e passei a realmente gostar de você e ficar dependente de noticias suas.
(...)


        "Quem diria? De dois grandes namorados, de duas paixões sem freio, nada mais havia ali, vinte anos depois; havia apenas dois corações murchos, devastados pela vida e saciados dela, não sei se em igual dose, mas enfim saciados."   
                                                                                                                         Machado de Assis

2 comentários:

Leonardo Batista disse...

É de morrer.

Caroline disse...

Que diálogo lindo, mesmo!!!