quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011


- Sabe o que eu realmente queria agora? Nada, apenas o silêncio e a tranquilidade para poder passar o dia todo só olhando a janela.
- A paz que você procura está dentro de você. Esmagada por essa bagunça toda que você formou durante todo esse tempo. Isso sempre acontece quando nos acomodamos demais e não limpamos nossas almas. Então as coisas vão se acumulando e em pouco tempo já não podemos separar o que deveria ser lixo das coisas que deveria estar bem guardadas.  E essas bagunça toda vai nos cansando e desgastando até que chega uma hora que você quer fugir de você mesma.
- E isso é possível? Fugir de si próprio?
- Existe uma relatividade imensa pra responder essa pergunta. Mas se quer realmente saber o que eu penso disso? Não, não tem como fugir de você mesma. Você pode gastar todo o seu tempo se ocupando com outras coisas, com outras pessoas e até se esquecer por um breve momento do que realmente você está fugindo. Mas toda noite, antes de dormir, esses fantasmas vêem a tona para lembrar quem você é e de onde você veio.
(Silêncio)
- E fugir só por um dia, pode?
- Eu estaria mentindo se dissesse que nunca faço isso.  Mas você sabe que uma hora você vai ter que se olhar de frente e organizar essa bagunça toda.
- E você vai me ajudar?
- Vou. Mas vou adiantar que eu não ando dando conta nem da minha própria bagunça.
(risos)

4 comentários:

Apenas Tici... disse...

Se aprender como fugir de si mesma, vc me ensina? Ando precisando tbm.

O texto lindo, como sempre.

Beijinhos

Winny Trindade disse...

Eu mesma nem dou conta de mim, mas eu tento cuidar dos outros.

abraço meu.

Daynara Aparecida disse...

Seria tão bom se todos nós tivéssemos alguém a quem podemos confiar a cuidar de nós qnd fugimos..


Beijos querida Jéssica :D

Dessa Britto disse...

Adorei o texto, é bem sincero e verdadeiro, e fala dessa tal necessidade que temos, e ainda não descobrimos como fazer.

Beeijos